segunda-feira, 28 de junho de 2010

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Quero


Quero poder te ter.
Quero poder te esquecer.
Quero poder te sentir.
Quero poder parar de pensar em ti.
Quero poder estar com você.
Quero poder estar só.
Quero poder saber a maneira de te dizer tudo.
Quero ter a coragem de lhe escrever.
Quero ter o prazer de te ver.
Quero ter a paz de te ouvir.
Quero ter o sossego de te entender.
Quero ter você sem dividir.
Quero poder te falar tudo que está entalado aqui, há um ano e três meses dentro de mim.
Queria poder mudar aquele vinte e cinco de Março e nunca ter te notado e me encantado.
Queria poder ter realmente vivido tudo o que eu sonhei nesses quinze meses.
Quinze, maldito número que sempre me deprime, me maltrata, me desespera.
Queria poder te sentir aqui, de verdade, por inteiro.

Quero, apenas te quero. Amo, apenas te amo.


"De longe
Eu vou te olhando de longe,
Só pra saber se vale a pena ficar por aqui
Ou se eu vou embora."

domingo, 20 de junho de 2010

Ainda me surpreendo

Cada vez mais fútil, egoísta, sei lá mais o quê.
Não consigo entender, quem os conheceu antes fui eu, quem os mostrou a existência fui eu, quem lhe mostrou o quão lindos e apaixonantes são fui eu.
Claro, eu sei de minha inferioridade sobre ti. És oceanos mais bela, inteligente e esperta que eu, mas o que lhe custa igualar-me um pouco a ti, subtrair um pouco vossa "lindeza".
Melhor te abandonar, não quero continuar ao lado teu. Não és mais minha amiga faz tempo, apenas eu que insisto em acreditar nisso.
Adeus.

domingo, 13 de junho de 2010

Redeglutir

Basta! Um hora tudo teria de ser dito.
Agrade ou não, eu precisava colocar tudo pra fora da maneira mais sincera e agressiva possível.
Ficava entalado, entupido em minha garganta. Era preciso colocar tudo pra fora sem pensar nas consequencias de tua dor. Como lhe disse, estou pouco me fodendo, quero mais saber do MEU bem-estar e de quem me é próximo.
Não faço a menor questão de lhe pedir desculpas, de me arrepender. Estou bem, muito bem assim. Foi um enorme peso tirado de minha pobre e torta costas.
Se te onfendi, magoei, humilhei... não há nada a se fazer.


Regurgitofagia: ato de "vomitar" os excessos, a fim de avaliarmos o que de fato queremos re-deglutir. A 'descoisificação" do homem através da consciência crítica, a "ignorância programada".

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Eu continuo "acreditando"

Pode passar o tempo que for, me ignorar o quanto quiseres, aparecer quantos sorrisos for, amanhecer por seis meses seguidos, eu continuo a sonhar com você, a acreditar em nós e a sofrer platonicamente ao te ver.
Teu brilho escondido, teu sorriso sarcástico, teu olhar ao dormir...
Um ano e três meses, poderia tudo ter sido de verdade.
Eu não consigo esquecer tua presença, teu coração, teu pulsar, teus olhos sorrindo, teu dobrar de joelhos e olhar por cima dos óculos. Não consigo tirar sua cabeça da minha, seu coração do meu, suas mãos das minhas, seus olhos nos meus, teu abraço no meu, meu beijo no seu, você em mim e eu em você.
Eu sinto falta.
Falta de sonhar, de acreditar, de sorrir, de chorar de tão bela como a vida era, de viver cada segundo com você, por e para você; sinto falta de você.
Tudo parecia tão real que chegava a ser difícil acreditar que era só um sonho, um sonho meu.
Hoje, ouvir tudo o que te lembra me faz perceber o vazio que ficou em mim, logo vem as lágrimas.
Confesso, assumo, sou fraca e forte por gostar-te tanto por tanto tempo sem receber nada em troca.

Ainda te amo, ainda te quero, ainda te espero...


"Quero te embalar com minha canção
Quero despertar com seu coração
Quero ter você em mim, quero me ver em você"

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Segurando sentimentos

Medo de dizer, colocar pra fora, parecer interessada demais e se tornar atirada, exibida, criança.
Não saber separar um sorriso de bom dia, de interesse e segundas intenções.
Talvez seja a falta de tempo e a distância pra poder olhar o resto e apenas se focar na rotina, no dia-a-dia.
Me sinto sufocada, querendo gritar e dizer o quanto eu queria estar com você, em cada segundo teu, mas eu nem tenho certeza se é isso mesmo que eu quero ou se é somente bobeira, carência, fuga.
Talvez eu apenas goste da sua companhia, do seu jeito selvagem de morder as coisas, de como se espanta comigo, talvez eu só tenha ido com a sua cara.
Eu só queria poder te sentir cada vez mais perto de mim.